Esportistas de Santa Rita do Sapucaí

Heriberto Cunha

Ídolo do São Paulo, Heriberto da Cunha também atuou pelo Santos, Cruzeiro, Kashima Antlers, Portuguesa, América, Juventus, Mogi Mirim e São Caetano. Como treinador, comandou o Sport, Athlético Paranaense, Figueirense e Náutico. Após se aposentar, antes de se tornar dirigente e ser eleito vice-presidente do Pouso Alegre, foi auxiliar no São Paulo, Atlético-MG, Guarani e Corinthians. 

Heriberto
Heriberto

press to zoom
Heriberto, no São Paulo
Heriberto, no São Paulo

press to zoom
Heriberto, no Cruzeiro
Heriberto, no Cruzeiro

press to zoom
Heriberto
Heriberto

press to zoom
1/3

Robert Kenedy

Nesta residência, viveu o renomado jogador de futebol, Robert Kenedy. O meia atacante, que começou sua carreira no Santarritense, atuou pelo Chelsea, Vasco, Atlético Mineiro, Fluminense e Friburguense. Atualmente, joga pelo Granada, emprestado pelo Chelsea. Kenedy já vestiu a camisa da seleção brasileira pelas categorias Sub-17, Sub-20 e pela Sub-23. Também foi campeão do Campeonato Inglês, atuando pelo Chelsea.

Kenedy
Kenedy

press to zoom
Kenedy
Kenedy

press to zoom
1/1

Roque Júnior

Neste local viveu o jogador pentacampeão mundial, José Vítor Roque Júnior, conhecido mundialmente como Roque Júnior. Nascido em 31 de agosto de 1976, o zagueiro atuou pelos clubes: São José, Palmeiras, AC Milan, Leeds United FC, AC Siena, Bayer Leverkusen, Duisburg, Al-Rayyan e Ituano. Além da Copa do Mundo de 2002, Roque Júnior venceu a Copa das Confederações, a Liga dos Campeões, a Copa Libertadores, a Supercopa Europeia, dentre outros campeonatos.

Roque
Roque

press to zoom
Roque
Roque

press to zoom
1/1

Ziquinha

Maior goleador da história do Friburguense, o atacante Flávio Luiz Chagas, o Ziquinha, tornou-se uma lenda no futebol brasileiro. Sua trajetória como profissional teve início aos 14 anos, inspirado pelo avô, o senhor Chaguinha, que sonhava vê-lo atuar em clubes profissionais. Ao chegar ao Friburguense, tornou-se ídolo do Clube e lá permaneceu. De lá para cá, foram mais de 20 anos de alegrias e muitos gols.

Ziquinha1
Ziquinha1

press to zoom
Ziquinha3
Ziquinha3

press to zoom
Ziquinha2
Ziquinha2

press to zoom
Ziquinha1
Ziquinha1

press to zoom
1/3

Aleluia

Nesta residência vive Antônio de Campos, conhecido como Aleluia. Nascido em 1939, atuou em clubes como São Paulo, Juventus, Portuguesa, Mogi Mirim, Paulista de Jundiaí, Nacional, Bahia e outros. Atuando pelo São Paulo, chegou a jogar contra o Pelé. Ao jogar pelo Pouso Alegre, foi Campeão Mineiro. Como treinador, teve passagens pelo Pouso Alegre, Portuguesa, Corinthians e Santarritense. Centenas de jogadores locais foram treinados por ele, dentre eles: Roque Júnior, Ziquinha, Eriberto, Elias e Marcelo. 

Aleluia
Aleluia

press to zoom
Aleluia
Aleluia

press to zoom
1/1
 
 
 
 
 

Tainá Magalhães, campeã brasileira de triathlon

Triatleta santa-ritense, Tainá foi primeira santa-ritense a disputar a prova de triathlon mais tradicional do mundo, Ironman, composta por 3.8km de natação, 180km de ciclismo e 42km de corrida, tendo conquistado pódio no campeonato sul-americano. Tainá também superou um atropelamento que a deixou, temporariamente, paraplégica enquanto treinava ciclismo e, recuperada, sagrou-se campeã brasileira de longa distância e do Troféu Brasil de Triathlon, dentre outras provas. Tainá também coleciona convocações para campeonatos mundiais e representou o Brasil por diversas vezes.

 

Aqui vive Eduardo Calixto, lenda viva da ultramaratona

O atleta Eduardo Silvério Calixto, conhecido como Calixto, é uma lenda entre ultramaratonistas do Brasil e do exterior. Somente na “135+ Ultramarathon”, considerada uma das corridas mais difíceis do mundo, sagrou-se campeão por 4 vezes. Com 22 anos de carreira, Calixto conquistou 27 pódios, obtendo a primeira colocação em 13 competições, a segunda em 8, a terceira por 7 vezes, a quarta também por 7 vezes e a quinta colocação em 62 competições.

 

O jogador Henrique Rafael

Nascido em Santa Rita do Sapucaí em 1993, o meio campista, Henrique Rafael, passou por clubes como Atlético Mineiro, Grêmio, Internacional, Ipatinga, XV de Piracicaba, Paraná e Ceará, antes de seguir para o futebol europeu. Em 2017, foi contratado pelo time Búlgaro CSKA Sofia, onde permaneceria por uma temporada. Com desempenho impressionante, acabou se tornando ídolo do Clube, com 22 gols, assinando, permanentemente, com o time no ano seguinte. Em julho de 2021, foi transferido para o Marítimo de Portugal.

 

Rogério Rennó, o discípulo de Hélio Gracie

​Em 1972, Rogério Rennó estava no Rio de Janeiro e decidiu praticar Jiu-Jitsu com Hélio Gracie, uma lenda do esporte. Em eventos de vale tudo realizados no ginásio do América Futebol Clube, reuniam-se com lutadores de Capoeira, Karatê e outras modalidades. Rogério era um grande amigo de Carlson e Robson Gracie. Rorion, Royce e Rickson, ainda eram muito crianças na época. Ao se matricular na Academia de Chiquinho Mansur, Rogério foi campeão carioca, duas vezes campeão fluminense e vice-campeão brasileiro de Jiu Jitsu. De volta a Santa Rita, o lutador foi eleito prefeito por duas vezes.

Rogério Rennó
Rogério Rennó

press to zoom
Hélio Gracie, a lenda do Jiu Jitsu
Hélio Gracie, a lenda do Jiu Jitsu

press to zoom
Rogério Rennó
Rogério Rennó

press to zoom
1/2
 

O esportista Márcio Vilela

Márcio Vilela foi um voleibolista que, na posição de ponta, conquistou o ouro no campeonato Sul-Americano de Clubes de 1988, realizado no Peru. Em 1976, já competia pela ASA (Associação Santarritense de Atletismo). Em 1985, ingressou no E.C.Banespa, onde conquistou o Bronze no Campeonato Paulista e o quarto lugar no Brasileiro, no ano seguinte. Em 1987, sagrou-se vice-campeão pelo Campeonato Paulista e obteve o título brasileiro. Também atuou pelo Telesp e pelo Sândalo-Franca. Ao retornar a Santa Rita, abriu uma academia e montou a banda “Luxúria”. Faleceu em 23 de junho de 2013.

Márcio Vilela, no Banespa
Márcio Vilela, no Banespa

press to zoom
Márcio viajando com a equipe.
Márcio viajando com a equipe.

press to zoom
Márcio Vilela, no Banespa
Márcio Vilela, no Banespa

press to zoom
1/2