Resultados da busca

100 items found for ""

  • Antiga Cadeia e Fórum | Memórias SRS

    Página inicial Mapa Baixe nosso App Documentos para pesquisa Sobre nós Busca Mais Antiga Cadeia e Fórum Quando o Governo do Estado de Minas Gerais emancipou o Município de Santa Rita do Sapucaí, fez-se necessário criar um Fórum. Decidiram instalá-lo no segundo andar deste prédio, onde já funcionava a Cadeia Pública. Os primeiros proprietários deste local foram José Pereira da Rosa e Benedita Maria de Jesus. A aquisição pelo Estado de Minas Gerais aconteceu no ano de 1904. Na década seguinte, o Fórum ganhou um edifício próprio. Com as celas dispostas ao nível da rua, a comunicação era livre entre os detentos e a população da cidade. A cadeia funcionou neste local até 2002. Antigo prédio da cadeia e do fórum Antigo prédio da cadeia e do fórum Antigo prédio da cadeia e do fórum Antigo prédio da cadeia e do fórum 1/4

  • Artistas de Santa Rita do S... | Memórias SRS

    Página inicial Mapa Baixe nosso App Documentos para pesquisa Sobre nós Busca Mais Artistas de Santa Rita do Sapucaí Décio Romero Júnior (o Buga) Aluno do lendário músico, Antônio Anézio Felipe (Tonico), Buga já se apresentou com artistas como Emicida (tendo participado do espetáculo e documentário AmarElo, gravado no Teatro Municipal de São Paulo), excursiou com o grupo Racionais Mc´s e com outros nomes da música brasileira. Genial no improviso, próprio do Jazz, Buga teve sua trajetória apresentada, recentemente, no documentário “O outro lado do Vale”. Vive em São Paulo. Antônio Anézio Felipe (Tonico) Antônio Anézio Felipe, o Tonico, é um dos maiores músicos de Santa Rita do Sapucaí. Também é considerado uma das pessoas mais amadas e respeitadas de nossa comunidade. Em sua mocidade, realizou lendárias apresentações na Associação José do Patrocínio, no Centro Operário, nas Comemorações do dia 13 de Maio, nos inesquecíveis desfiles de carnaval e também nas fanfarras de sete de setembro. Diversos músicos locais, alguns deles reconhecidos nacionalmente, foram seus aprendizes. Tonico deu voz à versão atual do hino do Bloco dos Democráticos. Diego Dais Grafiteiro, compositor e “Stencialista”, Dais possui centenas de obras espalhadas pela cidade. Tais intervenções estão, atualmente, mapeadas por meios digitais e trazem uma grande abrangência artística, cultural e crítica ao município. Além de seus trabalhos em grafite e stencil, outros artistas também tiveram a oportunidade de realizar intervenções neste local. Ândrea Falsarella Ândrea Falsarella é a experiente e talentosa professora, coreógrafa e bailarina à frente da Academia de Dança que empresta o seu nome. Em parceria com a sua filha, Mayara Falsarella, centenas de jovens aprendem a arte da dança neste espaço que projeta bailarinos e bailarinas para todo o mundo. Não raramente, talentos despertados pela Academia Ândrea Falsarella são enviados para apresentações no exterior ou admitidos no Ballet Bolshoi. Membro da Academia Santa-ritense de Letras, Ciências e Artes de Santa Rita do Sapucaí, Ândrea é um patrimônio vivo de Santa Rita do Sapucaí e suas apresentações anuais são sempre muito concorridas. Ândrea Falsarella Alunos da Academia Espetáculo anual da Academia Ândrea Falsarella Ândrea Falsarella 1/5 Luzia Gervásio Dançarina, cantora, atriz e produtora cultural, participou de um filme com Ronda Flemming e Rossano Brazzi, atuou na peça “Soraia Posto 2”, de Pedro Bloch, além de trabalhar em “Malu, a história de uma estrela”, de Nilton Santos. Em 1975, integrou um grupo de Haroldo Costa, quando teve a oportunidade de visitar diversos países da América Latina. Amiga de Pelé, foi presenteada com um violão pelo Rei do Futebol. Ao integrar o grupo “Sambão e Sinhá” gravou diversos discos. Quando se mudou para Santa Rita, produziu vários projetos culturais. Luzia no lançamento do disco Sambão & Sinhá Luzia com o Santos de Pelé Luzia e Rogéria, em Costa Rica Luzia no lançamento do disco Sambão & Sinhá 1/4 Negros de Sinhá - Voz de Luzia Gervásio. Artist Name 00:00 / 02:54 Nossas bandas de música Em 1892, o prefeito Joaquim Carneiro de Paiva (Cel. Joaquim Neto) era líder de um partido político cujos afiliados eram chamados de “Gafanhotos” e, para animar os comícios, patrocinava a “A Banda do Barbosa”. Com o surgimento de uma nova corporação musical, chamada “Lira Nova Aurora”, o partido oponente, das “Baratas”, também ofereceu apoio. Aquilo virou uma guerra... Quase na mesma época, surgiu a “Lira Tiradentes”. Já a “Lira Nova Aurora”, passou a se chamar “Lira São José” e, em seguida, “Lira Santarritense”. Depois de muitas idas e vindas, nossa banda remanescente foi denominada “Lira Santa Rita” e atua até os dias de hoje. Lira Santarritense A Banda do Maestro Augusto Telles Lira Santarritense 1/2 Marcela Duarte, Miss Minas Gerais e atriz em Hollywood Nesta residência, viveu a atriz, modelo e Miss, Marcela Duarte Fonseca. Dentre outros feitos, a santa-ritense participou de diversos filmes em Hollywood, como “Lanterna Verde” e “Improv Everywhere Originals”. Marcela iniciou sua carreira em 2003, quando foi eleita Miss Santa Rita. Em seguida, foi eleita Miss Terras Altas da Mantiqueira 2004, Miss Férias MG 2005, Miss Ervália 2006, Miss Minas Gerais 2006, Miss Mundo Universitária 2006 e Miss Intercontinental 2007. Atualmente, vive em San Antonio, no Texas. Marcela atua no filme Lanterna Verde, em Hollywood Capa de revista americana Marcela atua no filme Lanterna Verde, em Hollywood 1/2 A primeira banda de música de Santa Rita Em 1893, chegou a Santa Rita um circo de cavalinhos. Apaixonado por música, Joaquim Carneiro de Abreu, conhecido como Quincas Neto, frequentava o circo para ver a banda que lá tocava. Sabendo que o circo ficaria 8 meses na cidade, Quincas propôs ao senhor Barbosa, pistonista da banda, que abrisse uma escola de música. Quincas foi seu primeiro aluno. Quando terminou a temporada circense, Barbosa deixou que o circo partisse e criou a primeira banda da cidade - “A Banda do Barbosa”. A primeira banda de Santa Rita do Sapucaí A primeira banda de Santa Rita do Sapucaí 1/1 Vitória, a bailarina dos braços invisíveis Vitória Bueno é uma promissora bailarina santa-ritense que se transformou em inspiração e motivação para pessoas de diversas partes do mundo. Nascida sem os dois braços, fez do que poderia ser um obstáculo, grande diferencial no mundo da dança. Desde que ingressou na Academia de Dança Ândrea Falsarella, quando tinha apenas 5 anos, Vitória vem se tornando uma grande bailarina, obtendo destaque em veículos de comunicação de diversos países. Atualmente, é conhecida como “Bailarina dos braços invisíveis”. Brandani, a arte e as abelhas José Mauro Brandani Tenório é natural de Cruzeiro do Oeste, cidade conhecida como “A abelha laboriosa do Paraná” e que ostenta o inseto em seu brasão. Nascido em uma família de músicos, foi nas artes plásticas que se tornou conhecido. Brandani descobriu, na organização das abelhas, um conceito rico para se expressar. A escolha foi influenciada pela riqueza plástica, pelas cores e pela inteligência da espécie. Em uma visita de Ziraldo a Santa Rita, o escritor e cartunista esteve na casa do “Pintor das Abelhas”. Na ocasião, o autor de “O menino Maluquinho” autografou uma tela branca e Brandani pintou ao redor. Brandani apresenta obra feita em parceria com Ziraldo Brandani, em exposição no Paraná Ziraldo visita Brandani Brandani apresenta obra feita em parceria com Ziraldo 1/4

  • Casa onde viveu Maria Bonita | Memórias SRS

    Página inicial Mapa Baixe nosso App Documentos para pesquisa Sobre nós Busca Mais Casa onde viveu Maria Bonita Nesta residência, viveu a líder negra, Maria Idalina de Jesus, conhecida como Maria Bonita. Fundadora do Bloco Mimosas Cravinas, uma das mais antigas agremiações carnavalescas locais, Maria Bonita encontrou apoio em sua amiga, Luzia Rennó Moreira (Sinhá Moreira), para construir um prédio para sediar a Associação José do Patrocínio. Cozinheira afamada, doceira de mão cheia, ama de leite, empregada doméstica e líder política de peso, foi também benzedeira e dona de restaurante. Galeria | de imagens Sinhá Moreira, Maria Bonita, Carlos Lacerda, Dalila e Magalhães Pinto Maria Bonita com autoridades locais Sinhá Moreira, Maria Bonita, Carlos Lacerda, Dalila e Magalhães Pinto 1/2

  • Antiga Prefeitura Municipal | Memórias SRS

    Página inicial Mapa Baixe nosso App Documentos para pesquisa Sobre nós Busca Mais Antiga residência do Cel. Francisco Palma Esta residência, que pertenceu ao Cel. Francisco Palma, ao senhor José Cleto Duarte e que, mais tarde, foi adquirida pelo Dr. Oswaldo Campos do Amaral, foi também sede da Prefeitura Municipal, por um curto período, na primeira metade do Século XX. Há indícios de que havia, neste local, uma casa colonial, com a mesma dimensão. Adaptada com a mudança de gosto na virada do século XIX para o xx, apresenta estilo eclético, com elementos neoclássicos. Com lateral dando para o fundo da Igreja Matriz, esta residência foi construída nas proximidades do primeiro cemitério da cidade.

  • Pracinha do Ely | Memórias SRS

    Página inicial Mapa Baixe nosso App Documentos para pesquisa Sobre nós Busca Mais A praça do Ely Esta é a Pracinha do Ely, conhecida pelos moradores de Santa Rita como a menor praça do mundo. Nesta esquina, o senhor Hélio Ribeiro dos Santos permanecia durante o dia todo para fazer negócios e o local acabou se transformando em seu escritório improvisado. O comerciante instalou alguns banquinhos, forrou o chão de brita e passou a receber seus clientes, no local. Com o seu falecimento, uma vizinha instalou uma plaquinha com o seu nome e todos começaram a se referir àquela esquina como “A pracinha do Ely” ou “A menor pracinha do mundo”.

  • Monumento ao Mestre | Memórias SRS

    Página inicial Mapa Baixe nosso App Documentos para pesquisa Sobre nós Busca Mais Monumento ao Mestre O Monumento ao Mestre é uma obra idealizada por Luzia Rennó Moreira, conhecida como Sinhá Moreira, com a intenção de representar a instrução em Santa Rita do Sapucaí e homenagear os diretores e professores das Instituições de Ensino. O monumento, vazado, com as figuras do professor e do aluno, foi ideia da própria criadora da ETE e contou com a doação de vários santa-ritenses. A imagem também faz referência ao IMEE - Instituto Moderno de Educação e Ensino - uma das mais tradicionais instituições da cidade e que se localizava no campus hoje ocupado pelo Inatel. Foi inaugurado em 1962. Galeria | de imagens Monumento1 Detalhe do Monumento ao Mestre Monumento ao Mestre Monumento1 1/4

  • Residências representativas | Memórias SRS

    Página inicial Mapa Baixe nosso App Documentos para pesquisa Sobre nós Busca Mais Residências representativas A residência de Antônio Moreira Carneiro Esta residência foi construída no início da década de 1950 pelo cafeicultor Antônio Moreira Carneiro. Coube ao engenheiro, João Rennó Moreira, a execução do projeto com afirmações românticas e nacionalistas, como as figuras de índio existentes em seus adornos ou a pequena fonte disposta na lateral. Nota-se na construção uma vertente do Art Deco brasileiro. Os azulejos portugueses, marcam as origens do proprietário. Antes da construção deste palacete, havia uma residência mais simples, que ficou conhecida por seu mirante, no topo do prédio. Lateral da Mansão Fachada da Mansão de Antônio Moreira Carneiro Detalhe da residência que ficou conhecida como Casa do Índio Lateral da Mansão 1/5 Residência do Barão do Café, Erasmo Cabral Centenária, esta residência foi construída pelo Barão do Café, Erasmo Cabral. O grande exportador, no entanto, jamais chegou a viver aqui, já que teve sua grande fortuna devastada pelo Crash da Bolsa, em 1929. Com pisos venezianos e com lustres e adornos franceses, esta residência possui traços que substituíram o estilo colonial pelo Europeu. Adquirida pelo Cel. Gabriel Capistrano, a família do cafeicultor e líder político local morou aqui por quarenta anos. Até os dias de hoje é residência de seus descendentes. Residência construída pelo Barão do Café, Erasmo Cabral Residência construída pelo Barão do Café, Erasmo Cabral 1/1 Residência onde viveu Sanico Telles Neste local viveu Feliciano Marques Pereira Telles, conhecido como “Sanico Telles” (1873 - 1958). A escola, erigida em frente à sua residência e que empresta o seu nome, teve terreno doado por ele. Vereador e Vicentino, foi um grande benfeitor local. A lendária “Mata do Sanico”, localizada nas redondezas do Vintém, também se inspirou nele. Casado com Joaquina Marques de Azevedo Telles, teve 7 filhos, dentre eles o pediatra Walter Telles que, ao assistir uma palestra com Albert Einstein, sugeriu à Sinhá Moreira que criasse a ETE FMC. Mudou-se para esta residência em 1935. Casa onde viveu Sanico Telles Santa-ritenses morrem de medo da Mata do Sanico Feliciano Marques Pereira Telles, o Sanico Telles Casa onde viveu Sanico Telles 1/3

  • Arte Urbana na Avenida Beira-rio | Memórias SRS

    Página inicial Mapa Baixe nosso App Documentos para pesquisa Sobre nós Busca Mais Obras de Dais Este painel é uma pequena amostra do trabalho do santa-ritense Diego Augusto de Souza, conhecido como Diego Dais. Grafiteiro, compositor e “Stencialista”, Dais possui centenas de obras espalhadas pela cidade. Tais intervenções estão, atualmente, mapeadas por meios digitais e trazem uma grande abrangência artística, cultural e crítica ao município. Além de seus trabalhos em grafite e stencil, outros artistas também tiveram a oportunidade de realizar intervenções neste local.

  • Aqui surgiu o Bloco do Urso | Memórias SRS

    Página inicial Mapa Baixe nosso App Documentos para pesquisa Sobre nós Busca Mais Aqui surgiu o Bloco do Urso Neste local, aconteceu a primeira reunião do que viria a ser o Bloco do Urso. E, no início, tudo não passava de um grupo de amigos que queriam brincar o carnaval. Naquele ano de 1998, a “Turma do Kid Formiga” se reuniu para participar de um concurso de torcida mais animada do carnaval e não decepcionou. Como a premiação era uma caixa de cerveja e todos os integrantes eram menores de idade, o prêmio foi convertido em um engradado de refrigerantes. No ano seguinte, o grupo passou a ser chamado “Turma do Urso” e, aos poucos, aquela meia dúzia de adolescentes foi se multiplicando, os organizadores se profissionalizaram para receber novos adeptos e o resto da história vocês já sabem… Galeria | de imagens Os integrantes do Bloco do urso Os integrantes do Bloco do urso 1/1

  • Túmulo de Irmã Rita | Memórias SRS

    Página inicial Mapa Baixe nosso App Documentos para pesquisa Sobre nós Busca Mais Túmulo de Irmã Rita Conhecida como Irmã Rita, Cacilda Guimarães integrava a Congregação das Servas de Maria e foi originalmente, sepultada nos fundos da Santa Casa (atual Colégio Tecnológico Delfim Moreira), onde atuou como enfermeira e catequista. Falecida aos 25 anos, duas horas após a chegada do ano de 1927, não demorou para que fosse considerada milagreira pelos santa-ritenses. Com a criação deste cemitério, seus despojos foram trazidos para cá por Sinhá Moreira, que também ordenou a construção desta pequena capela. Estima-se que Irmã Rita tenha sido o primeiro corpo a ser transportado para este local. Galeria | de imagens IrmãRita2 Irmã Rita trabalhou na Santa Casa Túmulo da milagreira Irmã Rita IrmãRita2 1/5