cidade5.jpg

Praça Urbana Carolina de Azevedo e o Monumento aos expecionários

Urbana Carolina de Azevedo, que dá nome a esta praça, era avó do ex-prefeito e combatente na Segunda Guerra, Capitão Paulo Cunha Azevedo. Não por acaso, foi para esta pequena praça, em frente à casa onde morou o combatente, que foi trazido o “Monumento aos Expedicionários”, instalado, originalmente, na Praça Santa Rita. Além de Capitão Paulo e do Tenente Rubens Carneiro Pinto, os pracinhas Mesquita, Hugo Dias, José Patta, Maurício Adami e João Adami também foram recebidos como heróis, ao retornarem à cidade.

Espedicionários1.jpg
Galeria  |  de imagens
Detalhe do Monumento aos Expedicionários
Detalhe do Monumento aos Expedicionários

press to zoom
Detalhe do Monumento aos Expedicionários
Detalhe do Monumento aos Expedicionários

press to zoom
Fotografias trazidas pelo combatente Rubens Carneiro Pinto
Fotografias trazidas pelo combatente Rubens Carneiro Pinto

press to zoom
Detalhe do Monumento aos Expedicionários
Detalhe do Monumento aos Expedicionários

press to zoom
1/6
 

TG 04-040

Criado em 26 de novembro de 1946, sob a denominação de TG 118, foi posteriormente nomeado TG 04-118 e depois TG 04040. Teve início em 1947, tendo como instrutor o 1º Sargento de Infantaria, Léo Caldas Renault. Sua primeira sede localizava-se à R. José Ribeiro de Carvalho para, em 7 de setembro de 1953, ocupar residência à Praça 15 de agosto (Vista Alegre). Em 1964, o TG interrompeu suas atividades. Sua reabertura deve-se à atuação de Maria Vono de Azevedo Marques que empreendeu grande esforço para a reativação. Em 1977, o TG mudou-se para a Casa de Delfim Moreira, até inaugurar sede própria, em 1983.

Fachada do TG 04-040
Fachada do TG 04-040

press to zoom
Atiradores de 1960
Atiradores de 1960

press to zoom
Atiradores do TG 04-040 - Primeira Turma de 1985
Atiradores do TG 04-040 - Primeira Turma de 1985

press to zoom
Fachada do TG 04-040
Fachada do TG 04-040

press to zoom
1/5
 

Aqui viveu Rubens Carneiro Pinto, combatente na II guerra

Em 1944, diversos soldados do Tiro de Guerra foram convocados para a II Guerra, dentre eles Rubens Carneiro Pinto. O embarque para a Itália aconteceu em 22 de novembro daquele ano, com destino a Nápoles. Rubens foi deslocado para Pistoia e incorporado ao Quinto Exército. Ao integrar o grupo de Engenharia, sua missão era dar suporte na contenção dos alemães. Com o fim da guerra, Rubens retornou para Santa Rita, onde foi recebido como heroi. Falecido em 2018, foi o último sobrevivente dentre os santa-ritenses que participaram da II Guerra.

Rubens Carneiro Pinto
Rubens Carneiro Pinto

press to zoom
Tag de Rubens Carneiro Pinto
Tag de Rubens Carneiro Pinto

press to zoom
Rubens Carneiro Pinto
Rubens Carneiro Pinto

press to zoom
1/2
 

Capitão Paulo Cunha Azevedo

Nascido em Santa Rita do Sapucaí, em 1918, o Capitão Paulo Cunha Azevedo formou-se no CPOR (Curso Preparatório de Oficiais da Reserva) e recebeu a Patente de Segundo Tenente, quando estava prestes a embarcar para a Itália, onde lutaria na II Guerra Mundial. Ao retornar da Europa, foi promovido a Capitão, mas não conseguiu ser Reformado já que a vista que perdeu na guerra o impedia de continuar atuando. De volta a Santa Rita, foi convidado a atuar como diretor da Escola Normal, onde permaneceu por 11 anos. Em 1972, foi eleito Prefeito, cargo que exerceu até 1977.

Capitão Paulo em Solenidade no Tiro de Guerra
Capitão Paulo em Solenidade no Tiro de Guerra

press to zoom
Capitão Paulo em Solenidade no Tiro de Guerra
Capitão Paulo em Solenidade no Tiro de Guerra

press to zoom
1/1