Memórias Populares - Nossos Bairros

Vila Operária

Dona Lucélia

Nascida em 1953, Lucélia Borges de Souza passou a vida toda na Vila Operária. Filha de um pedreiro que atuou na construção da ETE e que também assentou as pedras que contornam a Igreja Matriz, ela ainda se lembra dos tempos em que o chão ainda era descalço e em que a única fonte de água era uma bica bem longe dali. Nos tempos de chuva, os moradores colocavam um balde para recolher a água, pois não havia saneamento básico. Colchão de palha, lamparina, muitas dificuldades... mas nada disso apagou os bons tempos vividos por Lucélia nesta comunidade tão unida.

Dona Salete

Dona Maria Salete Ribeiro tem 61 anos e vive na Vila Operária há mais de meio século. É uma referência aos moradores mais novos do bairro e ainda se lembra dos tempos em que o progresso ainda não havia alcalçado a incipiente  Vila Operária. As casas eram poucas. Um córrego cortava o local e tornava dura a travessia no ciclo das chuvas. Com o passar dos anos, Dona Salete presenciou o desenvolvimento do bairro e a chegada de novos moradores, cada vez mais integrados a Santa Rita do Sapucaí. Ela ainda vive aqui.

Val do Mercado

Ex-vereador e liderança comunitária, Valdecir Maciel Januário, o Val do Mercado, viveu muitos anos no bairro, até se mudar para a Nova Cidade. Assim como fazia na juventude, ainda atua como vendedor de rua, além de trabalhar como funcionário público. Não faz muito tempo, vendia de tudo um pouco... esterco, manga, peixe, o que fez dele conhecido pelo apelido que carrega até os dias de hoje. Ao recordar sua infância humilde na Vila, guarda com carinho as brincadeiras de criança e o carinho pela comunidade.